Livros

Gesto

Gesto, a nova série da HemiPress desenvolvida na plataforma Tome, propõe a publicação de obras digitais curtas e evocativas, que misturem multimídia e texto, e intervenham de forma crítica e com originalidade nas áreas da performance e da política. O gesto atua através de diversas arenas expressivas. Do latim medieval gestūra, o gesto é um modo de ação. Refere-se a um movimento corporal que busca expressar um pensamento ou sentimento, uma emoção, uma ideia, uma opinião, uma postura política. As dimensões corporais, comunicativas, afetivas e políticas da palavra “gesto” abrem um campo semântico de possibilidades que vai desde o desejo de comunicar-se à realização do ato. Os gestos podem ser expressões efêmeras e reiterativas ou representações referenciadas que citam atos e posicionamentos anteriores. Os gestos frequentemente acompanham a fala, mas não podem ser reduzidos à linguagem verbal; eles abrangem as diversas formas de expressão que constituem o ato comunicativo. A série Gesture convida acadêmicos, ativistas e artistas do continente americano a enviar obras que operem um posicionamento, um movimento ou uma reflexão crítica.

seis gestos
peter kulchyski

seis gestos (2014) encenam o ditado “não escute o que as pessoas dizem, observe o que elas fazem”. As comunidades inuítes do fiorde Pangnirtung, no Círculo Polar Ártico, se comunicam através de uma série de gestos. Aqui estão seis deles. ISBN: 978-1-7348245-3-7

Villa Grimaldi
Diana Taylor

Villa Grimaldi (2015) traça três visitas ao infame local de tortura chileno: uma visita com um sobrevivente, uma visita de áudio e uma visita guiada que nos convidam a refletir sobre as formas em que se produzem os testemunhos. O que o ato de estar no lugar dos acontecimentos comunica sobre as práticas do passado? ISBN: 978-1-7348245-9-9

Elia Arce
Anabelle Contreras Castro

Esta publicação reúne ensaios acadêmicos originais, textos de performance e registros de foto e vídeo que documentam a carreira da artista costarriquenha Elia Arce. Concentrando-se em performances feitas nos Estados Unidos durante seu “exílio voluntário”, a publicação (2018) examina a maneira em que a artista faz uso do próprio corpo para explorar temas relacionados com a raça, a identidade nacional, o deslocamento e o pertencimento. ISBN: 978-1-7348245-8-2

Deborah Castillo: desobediência radical
Alejandro Castro e Irina Troconis, Eds.

Este volume (2019) compila pela primeira vez seis perspectivas críticas sobre a obra da artista de performance venezuelana Deborah Castillo. Partindo dos campos da história, filosofia, estudos culturais, teoria política e teoria da performance, os autores exploram as diferentes formas de desobediência radical que se materializam à medida que Castillo se envolve com questões como o poder, a autoridade, o corpo e o Estado, tendo como pano de fundo a atual crise venezuelana e os fracassos da Revolução Bolivariana.

Regresso Atacama
Roewan Crowe e Helene Vosters, Eds.

A partir de práticas interdisciplinares que incluem escultura, performance, teatro, ritual, instalação, som e vídeo, CONSTELACIONES –Roewan Crowe, Doris Difarnecio, Christina Hajjar, Mónica Martínez, e Helene Vosters– se reúnem neste livro (2019) a partir da possibilidade, amizade, do trabalho coletivo concentrado e do compromisso com o processo artístico.

[({ })] A ferramenta transfronteiriça para imigrantes
Electronic Disturbance Theater 2.0 / b.a.n.g. Lab

[({ })] A ferramenta transfronteiriça para imigrantes (2017) destaca as dimensões midiáticas, sonoras e poéticas do Projeto de Ferramenta de Imigração Transfronteiriça do Electronic Disturbance Theater 2.0/b.a.n.g lab. Incorporando fotografia, vídeo, áudio, poesia e prosa, esta publicação da série Gesto atua em quatro idiomas das Américas –inglês, espanhol, nahuatl e ayuujk/mixe– para produzir uma experiência digital rica deste importante trabalho em um momento crítico de transformação política.

Do arquivo às ruas: a Cusco de Martín Chambi
Silvia Spitta

Este livro é o resultado de uma longa colaboração com um dos arquivos de fotografia mais apreciados do mundo andino. Os esforços de digitalização e preservação das obras de Martín Chambi, o renomado fotógrafo indígena, culminaram na primeira exposição nas ruas de Cusco das fotografias que Chambi havia feito em sua cidade de adoção, antes do devastador terremoto de 1950. Este último volume (2020) combina teoria e prática, e aborda de maneira criativa a história da fotografia andina, teoria do arquivo e estudos da performance para dar vida a um dos mais importantes arquivos fotográficos das Américas.

Duke University Press/HemiPress

Para estender o alcance dos debates acadêmicos, além dos fatores limitantes do idioma e da distribuição nas Américas, a HemiPress e a Duke University Press publicam conjuntamente livros digitais de interesse mútuo para seus diversos leitores. Disponíveis nos dois websites, essas publicações passam pelo processo editorial da Duke UP.

Estratégias resistentes
Marcos Steuernagel e Diana Taylor, Eds.

Estratégias resistentes (no prelo) aborda estratégias históricas e contemporâneas da resistência maia e dos seus impactos no trabalho de artistas e ativistas dentro e fora do México. Os ensaios que constituem este volume discutem uma variedade de atos de resistência com profundas raízes históricas e artísticas no sul do México, e acompanham o modo como se expandem e operam também na diáspora maia.

Dançando com os zapatistas
Diana Taylor e Lorie Novak, Eds.

Dançando com os zapatistas (2016) reúne acadêmicos, artistas, jornalistas e ativistas para abordarem o trabalho contínuo dos zapatistas, vinte anos depois de sua insurreição de 1994. Publicado pela Duke University Press e disponível na plataforma Scalar, este livro digital multimídia inclui ensaios escritos e fotográficos, entrevistas e performances teatrais, oferecendo novas perspectivas sobre os programas, estratégias, práticas artísticas e celebrações dos zapatistas.